98 Telinha e seus gatinhos

no dia que eu me zangar
mato voce de carinho

Ze´ Limeira

22.5.10

eu tenho pensado muito em como agir em relação à doença da muriel. no momento é só reação, mesmo. ação -> reação.  veterinários, exames, soro, remédios. eu reajo às situações. Agora eu quero agir.

tenho me esforçado muito em não cair na armadilha de "aimeudeus, Muriel tá morrendo" e atrapalhar a vida dela. Tento manter a rotina do jeito de sempre, não sobrecarrego a Muriel de cuidados e tento não superproteger. Ela gosta de ficar na caixa, de ficar na dela. Não é e nem nunca foi de colo. Acho que minha função mais importante é de não atrapalhar. Ela tem as comidinhas que gosta, a caixa para dormir, o borrifador de água que uso para afastar Jean-Luc quando ele cisma de encher a sua paciência.

Eu não quero que, de alguma maneira, ela sinta que eu a trato diferente. Não sei como os gatos funcionam; nem sei como eu mesma funciono, vamos deixar bem claro. Mas sei que gatos têm um tipo de sensibilidade que não consigo explicar, mas sei que existe. E se ela perceber que eu passei a tratá-la como uma coitadinha, tenho certeza de que irá reagir mal.

Eu presto atenção e tento ajudar. Nesta semana, ela começou a interagir melhor com a família, permite que Lara, Carol e Bijoux se deitem com ela no cobertorzinho novo que comprei. Até Jean-Luc, em alguns momentos, se comportou e os dois ficaram próximos, sem fsss nem xingamentos.

Claro que há momentos em que me sinto de mãos atadas; outros em que me sinto falhando com ela, por permitir que a doença avance sem que a operem ou façam a quimioterapia. Mas tudo isso foi pensado e repetido aqui tantas vezes! quero qualidade de vida para ela, não quero que ela passe por terríveis pós-operatórios que não solucionarão nada.  Quero uma vida legal para a minha gatinha. E amigos me falam de gatos desenganados que estão aí, miando satisfeitos da vida. Quem me garante que Muriel não possa ser um deles?

Tenho medo, claro, tenho um universo de medos. E sei que cedo ou tarde vou me culpar pela morte dela, e ter certeza de que uma pessoa mais precavida teria percebido antes a doença, tomado melhores providências, feito um milagre, talvez. Mas aí eu me lembro que Muriel está comigo não porque espera uma pessoa perfeita, e sim uma pessoa que a ame.

e aí meu coração sossega.

por pouco tempo, mas sossega.

12 Comments:

Blogger Eu said...

#morrendodechorarlendoopost

1:12 AM

 
Anonymous mauricéia said...

o Stela momento tão complicado, tb nem sei o que dizer, acho aliás que nem existem palavras pra isso, mas tenho certeza que tu tá fazendo o melhor pra ela, tb penso em qualidade de vida sobre quantidade de tempo vivido, o que importa é estar ao lado, dando todo o amor desse mundo para ela, muita força pra vcs nessa período, um beijo no coração.

10:20 AM

 
Blogger ila fox said...

Telinha, meu pai sempre diz uma coisa que me acalma nestas horas: "Enquanto o bicho estiver comendo e bebendo, ele está bem. A natureza sabe o que faz".

A minha gatona Misty, que era a caaaara da Muriel. Gorda, branca e mal humorada, morreu com seus 13 anos. Não sei ao certo do que morreu. Eu sei que ela tbm desenvolveu cancer nas tetinhas, que a gente achava que aconteceram devido às injeções para não entrar no cio.

Bom, só sei que na época chegamos à conclusão que era melhor deixar como estava, evitar o sofrimento dela com veterinário e tratamento doloroso. Gato é um animal muito digno, e se sente mal quando está em uma situação dessas.

Enfim, quando minha gatona se foi, eu não morava com meus pais, e nem pude me despedir dela. Minha mãe disse que ela teve uma parada respiratória. Não sei se foi por causa do cancer...

Só lembro que um mês antes, ela estava emagrecendo muito rapido. Aconteceu o mesmo com uma gata da minha tia, e com uma cachorra nossa que tbm tinha cancer.

Então, enquanto a Muriel estiver gorda, comendo e bebendo feliz. Acho que vc não precisa se preocupar com sofrimento dela, pois saiba que ela não está sofrendo.

Beijos na barrigona branca da Muriel!

10:45 AM

 
Anonymous Carmen said...

Acho que as meninas acima já deram mt bem o recado, e que deixar a natureza seguir o seu curso, seja ele qual for, é o melhor sim.
Mesmo que não tenhamos palavras, estamos rezando por vcs e sempre por aqui pro que precisar, Telinha.
Caso precise de alguma coisa, seja emocional ou material, tb estamos prontas a ajudar, princ as que moram no Rio como eu.
Um gde beijo e desejos de saúde pra todos!

11:38 AM

 
Blogger Teodoro said...

Reforço tudo o que foi dito. E estou mandando vibrações positivas. Só ter uma mami como você, já é um remédio e tanto.

1:08 PM

 
Anonymous Pri said...

Tenho certeza que ela não teria escolhido outra "dona"...e vc está fazendo o certo pq está fazendo com amor...bjs!!

6:21 PM

 
Blogger stella said...

Crianças,

obrigada pela força, pelas orações, pelo carinho comigo e com a Muriel. Eu vou lutar por ela enquanto ela lutar, não se preocupem. Enquanto ela estiver bem, eu estarei do lado dela. E quando ela não estiver, eu estarei também.

"EU", não consegui abrir seu perfil e não reconheci a foto. :(

Mauriceia, querida, beijo, ronron, miau, auau para você e seus bichinhos.

Ila, você não quer vir dar esse beijo no bucho branco da Muriel não? Olha, o Rio não tá mais tão quente... :D

Carmen, muito obrigada! Pode ter certeza que eu grito se precisar de ajuda! É tão bom receber seu carinho e sua atenção!

Teodoro, ronron para você :*

Pri, obrigada :)

10:40 PM

 
Blogger Nanda said...

Olá,
Triste saber que uma amiga nossa não vai estar mais aqui por tanto tempo qto gostaríamos.
Minha primeira reação foi "Meu Deus, m gata vai morrer!", principalmente pq qdo descobri os tumores, ela estava mal por causa de outra doença, e a vet disse que talvez ela não voltasse a ser o que era.
Me abraça com ela e choraaaava.
Para alarmar qquer um.
Depois vi que se os tumores ainda eram relativamente pq, se descobrimos sem querer, claro que ela ia voltar!
E voltou.
Não sabemos até qdo, mas voltou a comer, a pedir água incessantemente (hehe) a ser a mau humorada de sempre.
Se fosse atrás de toda a fatalidade da vet, talvez não tivesse cuidado com tanto empenho dela.
E sei que qdo a doença dela avançar, eu vou me lembrar não das horas que passei agarrada nela, mas dos dias em que ela voltou a ser quem ela, com suas birras,"bufadas", lambidinhas e cutucadas no meio da noite.
E das vezes em quem parei as coisas à tarde simplesmente para olhá-la nos olhos e, sem precisar dizer nada,dizer que ela é especial demais.
Gatos tem uma sensibilidade absurda, concordo.Por isso ás vezes penso se ela não sabe das coisas.
Se sabe, está muito digna, como sempre foi.
Jamais deixarei que perca essa dignidade.
E fico tranquila em saber que você também não deixará que ela perca.
Isso é muito importante para eles.
Aproveite cada dia, cada minuto em que ela estiver bem.
E acredite em milagres, pq eles acontecem.
Já ouviu falar em chá de graviola?
Desc tantas palavras...
Um bijo gde, boa semana!

11:35 AM

 
Blogger Mama and Papa said...

Queridas e queridos:

meu amor e coraçao continuam com vcs.
Beijos

11:08 PM

 
Blogger stella said...

Nanda, é isso mesmo. Sem tirar nem por.

Hetie, minha querida, meu coração está de mãozinha dada com o seu.

9:42 AM

 
Blogger Véia da Teia said...

Oi!

Minha história com Froide foi de muita alegria, muita mesmo! e muita dor... muita mesmo. Quando ele começou a ficar doente, foi uma cirurgia atrás da outra, tirava caroço aqui nascia outra lá, exames, biopsias e etc e tals, até que tive que decidir pelo não sofrimento dele.
E aí foi que começou todo o meu, que me persegue em sonhos, nos meus passeios solitários, nos meus dias de oficina qdo não tenho mais o amado orelhudo aquecendo meus pés em baixo do tear...
Fiz certo? podia ter feito mais? errei a ração, a dose? deixei de medicar em algum momento? não devia ter levado ele naquele passeio tão longo?
Enfins...
Agora, agorinha enquanto escrevo este, me passou uma coisa pelo coração-razão-mãos e te escrevo: tudo que fiz por ele foi com um carinho imenso, amor mesmo entre gente & bicho, e se eu errei foi sem querer, errei amando...

10:59 AM

 
Blogger stella said...

é, querida, a gente faz o nosso melhor. e isso não há culpa que derrube!

11:16 AM

 

Postar um comentário

<< Home