98 Telinha e seus gatinhos

no dia que eu me zangar
mato voce de carinho

Ze´ Limeira

24.10.09

Atendendo ao pedido da Cecilia...

A novela do casamento de expe e gil!!

Na quarta feira, dois dias antes da ceriônia, o padre não quis casar os noivos. Disse que faltava um documento. A pobre da Gil quase enfarta. Eu e Expe planejamos um padrecídio. Mas, aos 47 do segundo tempo, tudo se resolveu com um documento novo da igreja dos noivos e uma conversa com o padre de lá. então o padre disse que casava.

Mas este casamento é cheio de EMOÇÃO, torcida brasileira, e a coisa não pára por aí. No aeroporto de Recife, a Gol impediu a viagem dos sobrinhos da noiva, que seriam dama e pajem do casamento. A Gol impediu o embarque mesmo com as crianças viajando acompanhada pelos pais, só pq a certidão de nascimento apresentada não era a original e nem era xerox autenticada. O irmão da noiva viajou sozinho, pois levava o tal documento imprescindível ao casamento, deixando a mulher e as crianças que voltaram para casa, pegaram a certidão original e foram encaixadas em outro vôo. Em cadeiras separadas, diga-se. Uma criança de 8, outra de 2, voando em cadeiras separadas da mãe. A Gol vai levar um processo nas fuças, mas isso é assunto para depois.

Para os que não estão no Rio, ontem fez mais um dia nublado, mormacento. Telinha tinha ido dormir altas horas da madrugada terminando de confeitar 50 cupcakes com rosas vermelhas. E Telinha acordou cedo para colocar os cupcakes nos saquinhos de tule (ooooi, PC!) e dar 50 lacinhos com 50 cartõezinhos de agradecimento de presença (ooooi, Seal!)

Tudo pronto, Telinha tomou bambanho, trocou de roupa e foi para a Urca, levar os bolinhos para o Zozo Bistrot, que fica do lado da estação do bondinho do Pão de Açúcar. De lá, seguiu pro cabeleireiro italiano, para a sessão deusa do dia (ooooi, carla san!). Cabelo, maquiagem, mão e pé. Meu italiano me chamou de madonna de boticcelli. Eu me acabo. :)

Me troquei no salão, saí de lá nos trinques e fui encontrar com Gil. Ela ainda estava vestida de gente, Expe tinha acabado de tomar banho. A mãe da noiva chega agoniada pq esqueceram de levar a toalha de mesa (de festa) para o Zozô. E Telinha segue para o Zozô pela segunda vez no dia. Não percam a conta.

Então, com o noivo já pronto, seguimos para a recepção do hotel para pegar a van. Entramos na van, seguimos para o casamento, no cristo redentor que... sumiu. Não aparecia o cristo: só tinha uma nuvem estacionada lá em cima. ancorada, por assim dizer. e então, sexta-feira de tarde, pegamos um engarrafamento monstro.

Gente, de copacabana - na santa clara, quase esquina com a av. atlântica - para o cristo foi UMA HORA E MEIA de trânsito. O noivo só não surtou pq o padre tb tava preso no engarrafamento.

Chegamos no cristo, subimos de bondinho imediatamente, pois não dava para esperar a noiva chegar. buá. o que eles queriam era todo mundo subir junto e fazer a maior farra, mas o padre (que já tinha chegado) mandou o povo subir, então subimos.

Subimos com uma linda vista de... NADA. Nuvem. Mata encoberta por fog. Chegamos lá em cima, o Cristo tá em obras, a água condensando nos andaimes com aquelas redes de proteção. a entrada da capela tava uma poça só.

Lá em cima, no Cristo, uma ventania braba. Tive medo do padre sair voando.

Então? Então vamos contar as pessoas presentes: Padre, noivo, família do noivo, padrinhos, fotógrafo, alguns convidados. quem falta? A NOIVA!

A noiva estava presa no engarrafamento-monstro que teve ontem.

O casamento ia ser cinco da tarde. Seis e meia e a noiva não chegou. Seis e meia o último bondinho desceu do cristo. Como a noiva sobe, se acabou o serviço de bondinho? De van, claro. Mas a van não pode subir até lá em cima. O padre teve que autorizar a van da noiva até as paineiras, onde ela trocou de van para a van oficial do cristo que a levou até em cima.

Eu disse que o casamento era com emoção.

O casamento começou sete da noite. Seis da tarde, na verdade, pois estamos em horário de verão. E o lindo casamento no cristo foi um lindo casamento nas nuvens.

As crianças chegaram a tempo! O casamento teve a dama e o pajem que Gil sempre quis. E ela entrou ao som de Elvis, com todo mundo emocionado.

E na hora do sim, o padre mandou os noivos dizerem "por todos os dias minha vida" e não "até que a morte nos separe". mudou o texto? achava mais bonito o antigo. Mas, mesmo com as alianças trocadas, o casamento ainda não tinha terminado.

O padre é novidadeiro, e disse que os casamentos têm uma procissão até a imagem do cristo onde a cerimônia termina. E lá vai ele comandando a fila: a daminha vem do meu lado, depois os noivos, os pais da noiva, os pais do noivo, os padrinhos e os convidados. e vamos cantando Abençoa senhor as famílias amém. E eu, desnecessário dizer, achando tudo muito estranho.

Caminhamos em direção ao nada. Juro a vocês, deviam ter filmado a procissão com o padre destemidamente se encaminhando para o vazio de uma nuvem escura com a noite já avançando. eu vi a hora do homem despencar escadaria abaixo, mas conhece o cristo como a palma da mão e não caiu. então nos viramos para a estátua (que estátua? não aparecia NADA, mesmo com os holofotes ligados. Nós rezamos para a grande nuvem cinza. E enfim, os noivos se beijaram, todo mundo bateu palma e o padre mandou a gente ir embora que já tava tarde.

Seguimos, finalmente, para a recepção no Zozô Bistrot (terceira ida do dia) e aí nada mais deu errado com a festa. Atendimento maravilhoso, mesa de bolo perfeita... e o noivo esqueceu os cds da recepção no hotel. Peguei carona com um amigo da noiva e nos mandamos para o hotel: fumo, peguei os cds, voltemo: engarrafamento nenhum. Em 15 minutos, salvamos a festa ao som de elvis, abba e rock anos 80. (quarta viagem, mas quem tá contando?)

Encontrei a boleira, profa. Silvia Bassin, orgulhosa do seu bolo com rosas vermelhas pintadas. estava o luxo, poder e glória, com o tope que Gil trouxe de Recife numa caixa no colo dela: os noivos com um elvis presley cantando. Lindo e original :)

Peraí, crianças, bolo com rosas vermelhas? É. combinando com os bolinhos que eu fiz :D A noiva escolheu um bolo com rosas vermelhas pitadas, e não aplicadas - e eu não sabia! ficou uma mesa linda, vocês vão ver assim que eu receber as fotos, pois a digital não cabia na minha bolsa de festa.

Professora Silvia Bassin, a boleira da festa, me chama no canto e me conta que salvou o bolo - ela mora em Campo Grande e pegou o engarrafamento debaixo de sol forte na avenida Brasil. O ar condicionado não deu conta e o bolo acabou danificado - ela acabou de salvar o bolo, refazendo a cobertura, poucos minutos antes de nós chegarmos. E fez um serviço tão perfeito que não houve quem achasse um defeitinho sequer.

Enfim, como uma boa novela, tudo deu certo no final, até o que deu errado. Eles casaram, a festa foi linda, e hoje o filho da puta do sol resolveu aparecer.

:D

10 Comments:

Blogger ila fox said...

Telinha, é por estas e outras que fugi do casamento convencional, tenho pânico e fico extremamente mal humorada quando as coisas não saem como eu quero. Nhu.

8:02 PM

 
Blogger stella said...

menina, esse casamento valeu por teste cardíaco em situação de stress elevado!!

8:43 PM

 
Anonymous Cecilia said...

com riqueza de detalhes!!! ahahahah
valeu e felicidades para os noivos!

8:43 PM

 
Blogger Anunciação said...

Que narrativa legal!Menina,desconfiam que eles vão ser muito felizes.

11:45 PM

 
Anonymous Ana Almgren said...

Telinha,
Eu ri, gargalhei, chorei, e me deu vontade de estar lá. (meleca, eu sempre choro em casamentos.)
Adorei o registro do evento.
beijos,

9:15 AM

 
Blogger Mama and Papa said...

Querida Telinha Gloria Perez:
adorei seu relato... e participei de tudo. Mas casamento e' assim mesmo...precisa ter muitas emocoes...
beijos
Hetie

11:43 AM

 
Blogger Suzi said...

Telinha dideus! Noivos são, antes de tudo, uns fortes! Amei o bolinho!
beijos!

12:30 PM

 
Anonymous Anônimo said...

Telinha, que aventura!!! Felicidades aos noivos, parabens pela narrativa e pelos bolinhos e, conta sempre coisas que te acontecem, a gente entra dentro da narrativa como se lá estivesse.
Beijinhos, linda!
Maria Alice

9:37 AM

 
Blogger Expedito Paz said...

Como dizem os comerciais da Polishop, e não foi só isso... em breve, os detalhes, de preferência in loco.:)

10:03 PM

 
Anonymous Gil said...

hahhahahahaa Fia, adorei e já recomendei o relato. Assim que tiver com tempo, eu faço A VERSÃO DA NOIVA hahahahahahahah

7:01 AM

 

Postar um comentário

<< Home