98 Telinha e seus gatinhos

no dia que eu me zangar
mato voce de carinho

Ze´ Limeira

9.7.07

Crianças!

Vortei de Sumpaulo inda agorinha.

Que é que eu fiz lá, naquele hotel vagabundo que tinha a janela do banheiro quebrada e emendada com fita marrom e não tinha internet?

fui feliz até cair.

pois, como não podia deixar de ser, eu caí em são paulo. no ponto de ônibus perto da casa da leila do sos gatinhos. desabei com a graciosidade de uma jaca podre.

mas no dia antes de cair fui a duas exposições. a da clarice lispector, no museu da língua portuguesa (vá! não pense não, corra, vá, é linda) e a exposição do museu de versalhes na pinacoteca. dei uma sorte tremenda, entrei no começo de uma visita guiada e aprendi, entre outras coisas, que só a realeza, só os luíses, podiam usar o salto do sapato da cor vermelha. eu não sei como vivi sem saber disso.

eu caí, tava contando para vocês. é que são paulo é mais comprido que cantiga de guiné. eu peguei metrô, fiz baldeação para outra linha e de lá peguei ônibus: fui parar na sapopemba. quando o ônibus parou no meu ponto eu desci sem notar que estava na frente de uma entrada de garagem, pisei com o pé direito no ângulo e ouvi, nitidamente, um crec. uma senhora com sotaque de nair bello me ajudou, e eu, que sou mais macho do que muito homem, fui para a casa da leila do mesmo jeito. e agarrei muitos, muitos gatinhos, fiz festa num cachorro velhinho, dei abraços na leila e ganhei um bottom do humphrey bogart, só para ficar por cima da carne seca.

de volta ao hotel, fui num massoterapeuta-acumpunturista-shiatsu gente ótima, o brás. o brás é brasileiro (em plena liberdade meu acumpunturista não era japonês - só comigo isso acontece!). ele viu o estado lastimável do meu pé direito, trabalhou duas horas comigo para que eu pudesse andar sem morrer no caminho e ainda fez piada quando eu perguntei "mas brás, pq será que eu caio tanto?" "olha, pode ser pq seu pé é pequeno para sua estrutura... ou pq vc precisa trocar a marca da pinga que anda bebendo!"

graças ao brás consegui visitar a clarabeauty que é a criatura mais linda que o ceará já fez. fui apertada, mumunhada, apertei e mumunhei clara e as gatas cecília, dalila e ariela. daí, como se fosse pouco, chegou tchia éuga, o amor da vida de caró e da minha também. se helga existe então a vida é bela e a felicidade é possível. comemos pizza, brigadeirão e tomamos a bebida oficial da minha estadia em são paulo: frisante de cereja hello kitty. as fotos virão e vocês confirmarão o que é tal coisa. e tchia éuga me deu bolsa de gatinho havaiano que a clara fez. eu digo, elas vão me deixar insuportável depois de tanto carinho.

no outro dia, foi? acho que foi no outro dia, fui almoçar com fal, marli e maloca lá na drica maeda. meu pai eterno. minha mãe santíssima. aquilo não é um restaurante, é uma filial do paraíso. comi um arroz com feijão purinho e só minha mãe faz tão bom - e vejam que eu disse "tão bom" e não "melhor". drica maeda tem parte com o cão. ela me deu um brigadeiro caramelado, vcs sabem o que é isso? é a tradução do que é o abraço da fal. pq eu me agarrei com ela e não quero desagarrar nunca mais.

que nem o major agarra-e-não-solta-mais, lá do sítio.

preciso dizer que a maloca é a ruiva mais maravilhinda que eu já vi na vida? que marli é um doce, é carinhosa, é risonha, é altamente viciante? e que eu ganhei presente?

então no outro dia fui conhecer a vila sônia, o lar de fal e alexandre. meu deusinho, eu conheci baco. e baco não é um cachorro: é um anjo que faz auau. eu estou louca por ele e doída de saudade. isso não se faz, arnesto: me apaixonei e tive que vir embora prá cá, sem ele. também conheci báibaia, berta lacinhos e bolero beleléu. delícias miantes que coadjuvaram minha paixão por baco.

e teve fal e alexandre e eu, que já tinha adotado a fal, adotei alixandre também. alixandre com i que é como a gente fala na terra da gente, pq o caba ainda é pernambucano, e de garanhuns. pense. e rimos e falamos besteira.

e teve domingo pé de cachimbo na liberdade. meus senhores, nas palavras de amado marido, o tanabata matsuri virou oktoberfest de tanta gente lá.

e eu mais fal mais alexandre mais a amiga da fal (desculpa, esclerose precoce, esqueci o nome da amiga) andamos pela liberdade, compramos meimundo de coisa, fizemos pedidos nos papéis coloridos e penduramos nos bambus, vimos a loja das bolsas de gatinhos...

e deu hora de almoço, amado marido vendo corrida, corrida acabou, fomos almoçar ali onde judas perdeu os calos, pq as botas e as meias ficaram antes. danou-se que eu chegava em recife e não chegava no endereço: 35 reau de táxi, pense. o mocotó, restaurante nordestino recomendado pelo blog do marcelo katsuki, da folha de são paulo, tem a melhor carne de sol desde a que comi no recanto do picuí, na praça do derby, um doce de caju absurdo e um queijo de coalho com mel de engenho que eu só fiz provar pq amado marido papou e limpou o prato.

de volta à liberdade, a praça dura de gente e um povo cantando o tema de changeman no palco. eu adooooooro são paulo, já disse? pois então. fui encontrar ale e marcos e todo o povo deles: luciana, marcelo e uma tuia de amigos. andamos, fizemos mais compras (ai, meu são credicard dos parcelamentos) e ficamos no café sol até o café fechar e as funcionárias perguntarem se a gente topava ajudar na faxina.

saímos de lá e eu comprei uma bandeja de guioza-zilla, o maior guioza que eu já comi, uma delícia. amado marido disse que prefere os menores e mais delicados, mas aquele guioza era o big mac dos dim-suns. :)

daí chegou hoje e vortemo. gatinhos mientos de saudade, muriel que não quer saber de nós e a saudade boa de lá e a alegria boa de estar em casa.

depois conto mais e mostro mais coisa.

10 Comments:

Blogger Ana Paula said...

Serei a primeira a comentar? Ô, deus que saudade de tu, telinha! e que passeio bom por demais! Só vai ter ponto de exclamação nesse meu comentário aqui. O melhor de tudo é ler com sotaque, porque vc escreve com sotaque, já reparou? E é a coisa mais deliciosa deste mundo. Faço idéia você e Alixandre só no dialeto, ôxe que isso eu queria ver. Não suma, que a gente quer saber mais.
Bjs nos gatinhos!

10:49 PM

 
Blogger Edson said...

Uau! Que passeio bom!
Fiquei cansado só de ler!
Afago nos filhotes!
Bjks

12:11 AM

 
Blogger Alline said...

ai, que delíciaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.
Helga, Drica, Maloca, Leila, Fal e Alixandre, Baco...
Ô meu deuso.
Um beijo querida, até breve!

9:49 AM

 
Anonymous ligia said...

Eu tb queeeerooooooo

10:41 AM

 
Anonymous tati tatatuada said...

Que passeio jóia, tirando o tombo (mas isso esta implícito no pacote "venha a São Paulo") e a Drica, não é a mulher mais linda. E a Fal, bom a Fal dispensa comentários, só afofando mesmo para saber né?
Beijo.

11:27 AM

 
Anonymous fal said...

Ai quilida. Carina era a amiga da Fal, Carina amou vc, mandou eu mandar vc ir no meu flirck ver fota dos bebezinhos dela. Que bom que vc saiu dessa cidade feiacom boa impressão e feliz, tela. Era isso que a gente queria. te divertir.
amor
fal

12:17 PM

 
Anonymous Juju said...

ai telinha, nao acredito que vc ficou aqui em SP todo esse tempo, se encoiseando com todo mundo e eu perdi essa chance!!! aaaaiiiii!!! vou chorar no cantinho... pipipipi

12:44 PM

 
Blogger leila said...

Oi Telinha, fiquei com a maior dó do tombo. Bom que a dor passou logo. beijo

5:47 PM

 
Anonymous cecilia said...

que bom que voce se divertiu e tal. agora precisa de ferias das ferias!

6:34 PM

 
Anonymous gil said...

EITA QUE TEVE GENTE QUE ENFIOU O PÉ NA JACA E NA FELICIDADE!!!

8:12 AM

 

Postar um comentário

<< Home